Busca
+55 (11) 3358-7700 | +55 (11) 4058-7777
 

Uso de Blockchain nos Agronegócios

7COMm / Uso de Blockchain nos Agronegócios

 

 

A CERTEZA DA ORIGEM, O FIM DA PAPELADA E A GARANTIA DA QUALIDADE

 

A cada dia que passa fica mais claro que a escolha entre usar ou não o Blockchain é uma decisão diretamente relacionada ao tipo de problema que essa tecnologia pode ajudar a resolver ou pelo menos amenizar.

Diante deste consenso, é possível classificar o agronegócio como um dos setores mais ricos em descobertas de formas para aproveitar as potencialidades desta ferramenta. Os casos de uso se multiplicam e já podem ser separados em subgrupos de projetos que se diferenciam pelo objetivo a que se destinam. Alguns dos principais projetos resolvem problemas de rastreabilidade, Gestão de comodities e Criação do Marketplace. Entenda os desafios e conheça as soluções:

  • Rastreabilidade

Uma das dores que o Blockchain permite sanar é fazer com que as empresas rastreiem rapidamente os produtos não seguros de volta à sua origem e vejam onde mais eles foram distribuídos. Isso pode prevenir doenças e salvar vidas, além de reduzir o custo de recalls de produtos.

A casos, por exemplo, no qual a rastreabilidade de dados fornecidas pela plataforma Blockchain reduziu o tempo necessário para rastrear uma manga da loja até sua origem, de sete dias para 2,2 segundos. Essa redução no tempo permite que as empresas identifiquem cadeias de suprimentos contaminadas e lancem os produtos afetados antes que sejam consumidos e causem doenças.

Na prática

De onde vem o peixe?

Para rastrear o ciclo completo do atum-voador capturado desde o mar de Fiji até a mesa do consumidor foi desenvolvido um modelo baseado em Blockchain com transmissores de um sistema de identificação automática instalados em navios. Eles operam continuamente para rastrear e monitorar as atividades de pesca. Os peixes são marcados com um sensor quando capturados; esse sensor interage com o transmissor para registrar o tempo e a localização exata. Os dados de localização confirmam que os peixes foram capturados em um local onde os estoques de peixes não são excessivamente explorados.

Essa é mesmo a carne que comprei?

Outra aplicação realizada em Belfast incorporou informações de DNA em uma plataforma Blockchain que começa pegando uma amostra de tecido de um animal no início da cadeia de suprimentos e faz o upload de parte do código genético com outras informações armazenadas. Quando os importadores e outros fornecedores da cadeia de suprimentos recebem a carne, eles podem testar uma amostra e confirmar se o DNA corresponde ao que esperavam.

Quem comprou minha carne?

Com o objetivo de melhorar sua oferta de negócios um grupo de fazendeiros de gado de Wyoming queria saber onde sua carne estava sendo vendida. Eles desenvolveram uma plataforma Blockchain que passou a acompanhar a carne bovina ao longo da cadeia de fornecimento e permitiu que os pecuaristas melhorassem sua oferta de valor aos terceiros envolvidos ao longo da cadeia.

Quanto e por onde andou este frango?

Já em Xangai uma plataforma Blockchain trabalha conectada a sensores instalados em frangos quando eles atingem um determinado tamanho. Estes equipamentos não apenas rastreiam a localização dos filhotes, mas também permitem que os clientes vejam o quanto eles se moviam diariamente.

  • Gestão de comodities

As commodities agrícolas são um grande negócio, e os gerentes de commodities têm sido afetados por desafios de gerenciamento de dados e atrasos no pagamento. O Blockchain está permitindo a inovação que resolve esses problemas.

Na prática

Sem duplicação e verificação de documentos

Um projeto em funcionamento em Roterdã possibilita que todos os documentos da transação, incluindo contratos, cartas de crédito e certificações do governo, sejam digitalizados e os dados automaticamente disponibilizados em tempo real por meio de Blockchain. Este modelo evita a duplicação e a necessidade de verificações manuais. Isso reduz o processamento de documentos para um quinto do tempo normal e diminui o tempo total de transação pela metade, de duas semanas para uma.

  • Criação do Marketplace

Um dos grandes desafios para as empresas de alimentos comerciais é a aquisição terceirizada  de ingredientes pois é muito difícil ter a certeza da qualidade do produto que será adquirido Por outro lado, os agricultores que produzem com qualidade podem não saber quem são os grandes clientes à sua procura ou o que esses potenciais clientes finais estão procurando.

Em função desta dificuldade, historicamente os intermediários acabam ficando com um percentual bastante significativo dos lucros.

A solução para evitar este desvio de lucratividade tem sido a criação de mercados digitais, ou marketplaces, que permitem a conexão direta entre compradores e produtores.

Na prática

Compradores falam direto com produtores

Em Isreali uma plataforma de negociação permite que os compradores comerciais encontrem os produtores que têm o que precisam. Seus primeiros projetos permitiram que os compradores de café encontrassem cafeicultores em Ruanda, e criadores de gado na África do Sul puderam encontrar alfafa para alimentar seus animais, solicitar uma cotação digital e gerenciar pagamentos dentro da plataforma.

Redução de custos com conversão de moeda

Em Londres foi registrada a criação de um mercado de commodities que reduz as despesas com câmbio e aumenta os lucros. Seu protocolo agrupa os negócios opostos para liquidação, o que melhora o desempenho de cada operação, mantendo-os independentes uns dos outros. Também permite que negociações bilaterais sejam realizadas em moedas locais em ambos os lados.

 

 

 

 

A transparência nas informações, a oferta de financiamento e a redução das taxas

A característica da tecnologia Blockchain tem sido uma das grandes incentivadoras para o surgimento de inovações que têm tornado as transações comerciais do segmento mais assertivas, com instrumentos de financiamento criativos e acessíveis a agricultores de todos os portes, além de uma agilidade e economia na concretização das negociações nunca vista. Veja alguns exemplos de sucesso:

  • Compartilhamento de Dados

As empresas que compram ou investem em produtos agrícolas têm um interesse inerente em ter informações sobre o produto antes de se comprometerem com uma compra. Isso pode incluir tudo, desde os níveis de sal e açúcar de um determinado vegetal, o que afetaria o sabor, para coletar informações sobre a saúde, o que pode ajudar os bancos e outros a preverem se uma fazenda será capaz de pagar um empréstimo.

Na prática

Saber tudo sobre o tomate

Uma iniciativa na Califórnia coleta dados de sensores, planilhas, pesquisas manuais e outras fontes ao longo da cadeia de suprimentos para fornecer aos compradores informações detalhadas sobre os atributos do produto. Seu primeiro projeto rastreou tomates que foram destinados à uma cadeia fornecedora de saladas. Dados sensíveis como luz, umidade, temperatura do ar, cor do tomate, teor de sal e açúcar e níveis de pH foram inseridos no Blockchain. O rastreamento dessas informações ajudou a empresa a colocar os tomates nas saladas dos clientes quando eles estavam em sua melhor forma e reduziu o desperdício da deterioração.

  • Acesso ao Capital

Pequenos agricultores em todo o mundo lutam para acessar o financiamento através de modelos financeiros tradicionais, como empréstimos, mas em muitos casos a falta de históricos de crédito, a documentação da propriedade da terra e outras questões dificultam o acesso às fontes de recursos bancários, de modo que os pequenos agricultores são frequentemente forçados a recorrer a alternativas nas quais as taxas são significativamente mais altas quando são disponíveis. Com a intenção de fugir deste ciclo, empresários agrícolas experientes em tecnologia estão usando Blockchain para criar modelos de investimento e arrecadar fundos para seus negócios agrícolas

Na prática

Token para plantar bananas

No Laos uma equipe de empresários russos desenvolveu um token para arrecadar fundos cujo objetivo era aumentar o tamanho da plantação de bananas Lady Finger para exportação para a China.

  • Pagamentos

 

As pequenas fazendas e outros pequenos negócios ligados à agricultura tradicionalmente sempre tiveram as questões ligadas a pagamentos como um obstáculo considerável a ser resolvido e o Blockchain sinaliza com algumas soluções.

Na prática

Pagar todos e receber de todos

Em Nairóbi uma empresa baseada em Blockchain permite que os usuários efetuem pagamentos no mesmo dia a funcionários, distribuidores ou fornecedores em suas contas bancárias locais ou internacionais. Eles também podem aceitar pagamentos de clientes locais em sete das principais moedas africanas. A plataforma automatizada permite a cobranças de uma taxa que é uma fração das transferências tradicionais de pagamento. Isso melhora a rentabilidade para os agricultores e todos os outros envolvidos na cadeia de suprimentos.

Velocidade máxima na compensação e cobrança mínima de taxas

Em San Francisco uma distribuidora de chá criou um projeto baseado em Blockchain para pagar melhorar sua estrutura de pagamentos a mais de 30 fazendeiros e fornecedores diferentes em diferentes países da África e da Ásia.

Antes da solução a empresa precisava arcar com taxas que chegavam a 12% e era obrigada a aguardar longos períodos de compensação, às vezes de cinco dias ou mais, para pagamentos internacionais.

A plataforma Blockchain permitiu converter pagamentos da moeda de origem e depois para a moeda local em mais de 80 países receptores, incluindo a China. Os pagamentos internacionais são processados e disponibilizados aos fornecedores entre um e três dias, com uma taxa de apenas 1,9%.